Coluna: Efeito Borboleta

VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE A LUTA

Essa é uma análise esclarecedora do movimento de greve dos funcionários do estado do Rio de Janeiro, em especial dos professores.
Nós grevistas, conclamamos a todos os colegas que hoje, ainda insistem em sustentarem o argumento do governo e seus asseclas.
Para aqueles que dizem que greve não serve para nada, a história desmente essa colocação. Todas as conquistas da categoria são frutos de luta. Só quem vai atrás de seus direitos e de dias melhores voltam trazendo os feixes. Quem espera e cruza os braços se entrega aos salteadores.
As conquistas foram inúmeras: plano de carreira (1986, 1987, 1988, 1999); reajustes salariais ( 86, 87, 88, 89, 2000); incorporação das gratificações de 164,00 e 50,00 (professores e funcionários – 2000); Descongelamento do plano de carreira (2001); calendário de pagamento no segundo dia útil, reajuste geral para o funcionalismo (2008) movimento unificado; incorporação da Nova escola para professores e funcionários; incorporação dos professores de 40h ao plano de carreira e enquadramento por formação atrasados (2009); reajuste salarial, gratificação para mestrado e doutorado, descongelamento do plano de carreira dos funcionários (2011); reajuste salarial e revogação dos processos de abandono de cargos (2013 e 2014).
Para aqueles que argumentavam a sua não participação no movimento por medo de corte de pagamento, não há mais o q temer. A justiça já deferiu a liminar do nosso pedido de proibição de cortes.
As negociações caminham.
A SEEDUC pede a nossa volta.
O discurso dos 3% de adesão desabou por completo.
Os alunos estão dando verdadeiro exemplo de consciência de luta e têm bem claro diante de seus olhos, que a educação está sucateada, as escolas destruídas, e os profissionais desprestigiados e desvalorizados.
As ocupações, espalhadas pelo estado, na capital e em pequenas cidades, obrigaram a mídia a olharem para nós. Obrigado a esses jovens bravos guerreiros.
Não podemos crer que os nobres colegas não grevistas acreditem nesse modelo de educação implantado pelo governo. Provas externas que não medem nada, mas que gastam milhões. Profissionais gratificados fora das escolas, que para nada servem, mas que levam nosso dinheiro sem trabalharem.
Isso tudo é uma farsa.
Agora avançam sobre aposentados.
Um dia chegaremos lá… Será?
Você acha justo um trabalhador contribuir durante anos e depois ficar sem o seu salário? Como sobreviver sem recursos? Seu salário na aposentadoria não contará com gratificação ou GLP.
Seremos apenas presas fáceis para servirmos de alimento para os fascistas que nos roubam descaradamente para enriquecerem a si e aos já endinheirados.
Nosso movimento é legítimo. Cresce a cada dia. Está faltando você colega. Vamos fechar as escolas e vamos para a rua lutar. Preservar nosso plano de carreira, nossa estabilidade. Nossa dignidade. Você não faz parte da panelinha dos que lucram sobre o trabalhador.
Você é um de nós.
Escolha o lado de quem luta pelo todo e não pelos interesses particulares.
Seja mais um de nós.
É o nosso convite.

Deixe uma resposta