Escolas macuquenses comemoram Dia do Livro Infantil e do Índio

Escolas macuquenses comemoram Dia do Livro Infantil e do Índio

Duas ações realizadas no início desta semana nas escolas que integram a Rede Municipal de Ensino em Macuco mostraram o trabalho de valorização da história brasileira e das questões pedagógicas e didáticas no cotidiano dos estudantes locais.
Em 18 de abril é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil, data que homenageia Monteiro Lobato, escritor da literatura nacional que se dedicou à composição de histórias infantis. Instituído em 2002, o Dia Nacional do Livro Infantil remete ao legado deixado por Lobato, já que mais da metade de seus livros era dedicada ao público infanto-juvenil. Dentre os personagens de sucesso, destaque para Dona Benta, Pedrinho, Narizinho, Tia Nastácia, Emília e Visconde de Sabugosa.
Em Macuco, inúmeras atividades foram desenvolvidas pelos mestres com os alunos do Ensino Fundamental através da abordagem de diversos livros de literatura infantil, além de encenação de peças teatrais tendo como protagonistas alunos e professores. O objetivo foi fazer com que eles tenham aguçado o prazer do contato estreito com os livros e entendam o porquê da importância da data histórica.
O Dia do Índio
Na terça-feira, 19, foi a vez de professores e pessoal de apoio preparar o cenário para que os alunos conhecessem mais a respeito do Dia do Índio, criado no Brasil pelo então presidente Getúlio Vargas, em 1943. A data é lembrada e comemorada anualmente pelas comunidades indígenas, de acordo com a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), que também exalta a importância do momento.
Os estudantes de Macuco ficaram sabendo que, em 1940, foi realizado no México o I Congresso Indigenista para discutir assuntos sobre a qualidade de vida dos índios com os próprios índios participando. A data em que foi tomada esta decisão importante era 19 de abril. Por isso, em 1943, três anos depois, o presidente Getúlio Vargas baixou o decreto instituindo o Dia do Índio no Brasil, data em que geralmente as festividades são realizadas nas próprias aldeias com a FUNAI contribuindo para as celebrações. Os índios praticam esportes tradicionais como corridas, canoagem, consomem comidas típicas e fazem suas manifestações religiosas e culturais.
“Parabenizo todas as escolas, seus respectivos diretores, professores e pessoal de apoio pela verdadeira demonstração de respeito à cultura brasileira e por contribuírem diretamente para o resgate dessas datas, deixando os alunos mais bem informados sobre temas que precisam ser mantidos em voga e repassados às futuras gerações. Estou muito feliz em constatar o sucesso dessas ações”, declarou a secretária de Educação, Kellen Lengruber.

Deixe uma resposta