Fechamento do ‘Projeto #tamujunto’ sorteia três prêmios

Fechamento do ‘Projeto #tamujunto’ sorteia três prêmios

Durante o evento, profissionais de saúde fazem balanço das ações e chamam a atenção para a possibilidade de duas novas epidemias em 2017
Cantagalo – A Secretaria de Saúde de Cantagalo realizou sexta-feira da semana passada, 29 de julho, no Ginásio Poliesportivo José dos Santos Vieira, no Centro da cidade, a cerimônia de fechamento do ‘Projeto #tamujunto’, que foi responsável por mobilizar o poder público e a sociedade de maneira geral para as campanhas de prevenção e combate ao mosquito aedes aegypti, responsável pela transmissão de perigosas doenças como dengue, febre chikungunya e zika vírus.
Durante o evento, que foi aberto à comunidade, os profissionais de saúde apresentaram um balanço de cada área das oito unidades básicas de Saúde da Família no município e chamaram a atenção da população para a continuidade das ações, uma forma de prevenir epidemias como a que o país inteiro sofreu no verão passado por conta da infestação do mosquito. Com início às 14 horas, cada equipe das unidades de saúde fez sua apresentação mostrando as particularidades de cada uma delas.
Na abertura, a secretária de Saúde, Vânia Huguenin, lembrou que, desde novembro de 2015, o município se mobilizou para evitar que transtornos maiores ocorressem durante a epidemia, já anunciada pelo próprio Ministério da Saúde, que decretou “estado de emergência em saúde pública”, principalmente pela ameaça representada pelos crescentes casos de microcefalia, através do zika vírus. “A Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde, e em parceria com as secretarias municipais, estabeleceu uma série de modificações na programação do controle do vetor devido à gravidade da situação. Com a colaboração desses vários setores e participação da população, conseguimos excelentes resultados, já que passamos daquela forma de trabalho setorizada para uma verdadeira “varredura” nos bairros e distritos, o foi relevante para o nosso resultado”, disse a secretária.
Representando o prefeito Saulo Gouvêa, que cumpria outra agenda, o secretário interino de Governo, Raphael Jevaux, também lembrou a importância das reuniões setoriais com cada comunidade onde estão inseridas as unidades de saúde e a integração entre as secretarias de governo. “Foi um plano de trabalho que deu certo e que teve uma parceria real, de força de trabalho, por parte da Prefeitura”, enfatizou.
Os responsáveis pelas vigilâncias Epidemiológica, Maura Huguenin; Meio Ambiente, Marcelo Guarilha; e em Saúde, Igor Teixeira, além do assessor e ex-secretário de Saúde, Esdras Gil, e da coordenadora de Atenção Básica, Márcia Gaspar, também destacaram pontos importantes das ações. Maura Huguenin, por exemplo, mostrou os dados da epidemia no município, que atingiu, com dados computados até final de junho, 8,93% da população, com 1.772 notificações, das quais 1.177 confirmadas para dengue (66,42% do total de amostras). Descartados foram 545 (30,75% do total de suspeitos). “Foi a maior epidemia registrada, embora não tenhamos registrado nenhum óbito e nem pacientes que tenham desenvolvido a síndrome de Guillain-Barrè (doença do sistema nervoso periférico e uma das possíveis consequências de contaminação pelo zika vírus)”, disse.
Marcelo Guarilha chamou a atenção para a necessidade da continuidade das ações e que a população esteja atenta, mesmo em períodos mais frios do ano. Ele anunciou que existe a possibilidade, conforme pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do mosquito culex quinquefasciatus, o popular pernilongo, mais difícil ainda de se combater, também ser transmissor do zika vírus, embora a hipótese ainda não tenha sido confirmada pela comunidade científica.
Já Igor Teixeira lembrou que, em reunião na Secretaria Estadual de Saúde, foi anunciado que o estado, que, pela primeira vez, registrou casos de dengue em todos os 92 municípios, com epidemia na maioria deles, poderá sofrer, já em 2017, duas novas e perigosas epidemias: dengue e zika vírus (perigoso no desenvolvimento de microcefalia e da síndrome de Gillain-Barrè). “Temos que trabalhar muito para que possamos passar por essa nova ameaça. Não podemos deixar aqueles 10 minutos por semana para vistoriar nossa casa e quintal e eliminar qualquer possibilidade de foco do mosquito aedes aegypti”, reforçou Teixeira.
SORTEIO – Também durante o evento, a Secretaria de Saúde realizou o sorteio de três prêmios entre as famílias que receberam a planilha da campanha ‘10 Minutos Salvam Vidas’, que consiste na reserva de 10 minutos por semana para cuidar da casa e eliminar qualquer possibilidade de foco do mosquito.
As famílias que tiveram a casa vistoriada e que não contavam com focos do mosquito receberam uma planilha, preencheram e entregaram nas unidades de Saúde da Família em todo o município, sendo contempladas com um cupom, que deu direito a concorrerem aos prêmios sorteados durante o fechamento do projeto. O aparelho de TV em led saiu para Izabel Regina Oliveira Pinto (Boa Sorte, quinto distrito); o smatphone saiu para Mirela Soares Silva (Rua Rodolfo Albino, no Centro da cidade); e o tablet saiu para Cláudia Regina Guzzo (Santo Antônio).
Redação/Fotos: Gilmar Marques

Deixe uma resposta