Governo do Estado e SuperVia entregam a última estação olímpica do sistema ferroviário
Inauguração da Estação Olímpica de São Cristóvão

Governo do Estado e SuperVia entregam a última estação olímpica do sistema ferroviário

Após a reforma, São Cristóvão teve sua capacidade de embarques diários duplicada

Os secretários de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, e da Casa Civil, Leonardo Espíndola, e o presidente da SuperVia, José Carlos Prober, realizaram, nesta quarta-feira (27/07), a última entrega olímpica do sistema ferroviário. A Estação São Cristóvão atende aos cinco ramais da concessionária e é a terceira com maior movimento de passageiros. Após a reforma, a capacidade de embarques diários duplicou, passando de 33 mil para 66 mil.

– Essa é uma estação muito importante, pois fica próxima ao Maracanã e vai receber, durante os Jogos Rio 2016, o público da abertura, do encerramento e das competições que acontecerão no estádio. Para facilitar o acesso, foram construídas três novas passarelas. Todas as melhorias têm como foco a comodidade e a acessibilidade – ressaltou o secretário Rodrigo Vieira.

As obras contemplaram a instalação de três elevadores e três escadas rolantes, novo mezanino com área de acesso cinco vezes maior que a antiga (de 610 m² para 3.133 m²) e passarela de integração direta com o metrô semelhante à estação intermodal Maracanã.

A estação teve as coberturas das plataformas ampliadas, recebeu nova iluminação em LED, recuperação da comunicação visual, instalação de piso tátil e sistema de captação e reuso da água pluvial. Também foram construídas novas passarelas externas de acesso (sobre a avenida Radial Oeste) e nova rampa pela rua General Herculano Gomes (em frente à Quinta da Boa Vista). Nos novos banheiros feminino e masculino terão instalados fraldários retráteis para facilitar os cuidados com os bebês.

– A modernização da Estação São Cristóvão vai trazer mais comodidade e segurança à população e aos turistas. Além de atender aos padrões estabelecidos pelo Comitê Olímpico Internacional, fica como legado definitivo após a realização dos Jogos do Rio – destacou o secretário de Estado da Casa Civil, Leonardo Espíndola.

Os trens serão importantes meios de transporte público durante os Jogos Olímpicos em virtude das estações situadas em pontos estratégicos para os locais das competições. Para atender aos padrões olímpicos definidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), a SuperVia investiu R$ 250 milhões nas obras de reforma e modernização de seis estações da capital fluminense: São Cristóvão, Engenho de Dentro, Deodoro, Magalhães Bastos, Vila Militar e Ricardo de Albuquerque.

– Posso dizer que a SuperVia chega aos Jogos Rio 2016 conforme planejamos, com a frota modernizada e as estações estratégicas reformadas, seguindo os padrões de acessibilidade. Nosso maior desafio foi realizar as obras de revitalização sem fechar as estações nem interromper o serviço oferecido aos clientes. O passageiro acompanhou diariamente o intenso trabalho e agora pode usufruir da estação, um dos principais legados da Olimpíada, junto com os novos trens refrigerados – ressaltou José Carlos Prober.

Além destas, as estações Maracanã, Central do Brasil e Madureira (com integração com o BRT Transcarioca) – que foram reformadas e contam com acessibilidade plena – também serão fundamentais para o atendimento ao público durante o evento. A previsão da concessionária é que sejam ofertados, no período, 3 milhões de lugares nos trens, diariamente, em cerca de 1.300 viagens.

Dados gerais das obras das seis estações olímpicas:

·         1.630 toneladas de estruturas metálicas;

·         20 mil m² de cobertura de plataforma construída;

·         6.500 m² de novos mezaninos;

·         Total de 37 mil m² de área construída e reformada;

·          20 novos elevadores instalados;

·         9 novas escadas rolantes instaladas;

·         15 mil metros lineares de piso tátil instalados;

Atendimento durante os jogos: 

Estações Maracanã e São Cristóvão
Estádio Maracanã/Maracanãzinho

Estação Olímpica de Engenho de Dentro
Estádio Olímpico João Havelange/Engenhão

Estações Deodoro e Madureira
Integração entre ramais

Vila Militar e Magalhães Bastos
Complexo de Deodoro (Estádio de Deodoro, Arena da Juventude, Centro Aquático, Centro Olímpico de Hipismo, Centro Olímpico de Tiro, Centro Olímpico de Hóquei)

Estação Ricardo de Albuquerque
Complexo de Deodoro (Parque Radical)

 

Fotos: Clarice Castro

Deixe uma resposta