Pezão detalha investimentos em ambiente, mobilidade e segurança para as Olimpíadas

Pezão detalha investimentos em ambiente, mobilidade e segurança para as Olimpíadas

O status dos principais projetos do Governo do Rio para as Olimpíadas, nas áreas do ambiente, mobilidade e segurança, foi atualizado pelo governador Luiz Fernando Pezão, nesta quinta-feira (13/8), durante encontro organizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), na sede do Tribunal de Contas do Estado, no Centro do Rio. Pezão detalhou oito grandes obras de saneamento já em curso, totalizando R$ 3 bilhões em investimentos. Entre elas, o cinturão da Marina da Glória e a Unidade de Tratamento de Rio (UTR) Irajá.

– Com a conclusão do cinturão da Marina da Glória e da UTR Irajá, teremos uma ampliação relevante do tratamento de esgoto – afirmou Pezão.

O governador anunciou que 24.863 agentes atuarão na segurança dos Jogos. Serão 18,5 mil policiais militares, 4.540 bombeiros e 1.822 policiais civis. Quase oito mil profissionais estão sendo capacitados em cursos antiterrorismo, de análise de risco, controle de massa, segurança turística e idiomas. Além das duas mil câmeras que já monitoram a cidade, teremos monitoramento aéreo. Todas as imagens serão transmitidas para o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). Ao todo, R$ 1 bilhão serão investidos em equipamentos e infraestrutura, em parceria com o governo federal.

– Estamos no melhor semestre da história desde a criação do Instituto de Segurança Pública (ISP), com redução dos índices de homicídios e roubos de rua. Temos 10 mil policiais em UPPs e as taxas de homicídio nessas comunidades são de 10 para 100 mil habitantes. Tenho certeza que faremos Jogos Olímpicos seguros como todos os grandes eventos que foram realizados no Rio de Janeiro. Vamos entregar tudo no prazo. As locações e a organização foram aprovadas pelos atletas, autoridades e presidentes de comitês. Teremos o maior legado de toda a história das Olimpíadas – disse Pezão.

Mobilidade

A mobilidade urbana foi apontada pelo governador como o principal legado dos Jogos. As obras da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca/Ipanema) estão adiantadas em 40 dias. A maior obra de infraestrutura urbana da América Latina tem investimentos de R$ 8,79 bilhões.

– Modernizamos a frota de trens urbanos e estamos reformando seis estações ferroviárias. Além disso, compramos nove novas barcas com ar-condicionado, sendo que sete têm capacidade para transportar até dois mil passageiros – afirmou Pezão.

Também participaram do encontro o vice-governador Francisco Dornelles; o ministro dos Esportes, George Hilton; os ministros do Tribunal de Contas da União, Haroldo Cedraz e João Augusto Nardes; os presidentes do Tribunal de Contas do Estado, Jonas Lopes Carvalho; e do Município, Thiers Montebello; o prefeito Eduardo Paes e o presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman.

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:

MOBILIDADE

TRENS

O Governo do Rio comprou 100 trens em 2010. Novas 12 composições estão em processo de compra. Em 2007, a média diária de usuários era de 325 mil. Hoje, o sistema transporta até 670 mil pessoas diariamente. Até julho de 2016, a frota de 202 trens estará totalmente modernizada. Todos terão ar-condicionado. Seis estações ferroviárias estão sendo reconstruídas. Terão novas plataformas, elevadores, escadas rolantes, além de rampas e passarelas de acesso e piso e sinalização tátil. São elas: Deodoro, Vila Militar, São Cristóvão, Ricardo de Albuquerque, Engenho de Dentro e Magalhães Bastos.

METRÔ

*Em 2007, 30 trens transportavam 410 mil passageiros/dia. Hoje, o sistema conta com 49 trens com média diária de 800 mil usuários. Somados às 15 composições já encomendados para a linha 4, o Governo do Rio mais que dobrou a frota, nos últimos oito anos e meio.

METRÔ LINHA 4

A Linha 4 é a maior obra de infraestrutura metroviária da América Latina. Investimento: R$ 8,79 bilhões. O cronograma da obra está antecipado em 40 dias. A operação assistida começará em junho do ano que vem (fora do horário de pico e com intervalos mais longos). a operação comercial está prevista para julho de 2016. O percurso tem 16 quilômetros de extensão. O trajeto Barra/ Ipanema poderá ser feito em 15 minutos. Barra/ Centro, em 40 minutos. A Linha 4 vai transportar mais de 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas dois mil veículos por hora, nos horários de pico.

BARCAS

Nove novas barcas foram compradas pelo Governo do Rio, desde 2013. O estado passou 17 anos sem comprar uma embarcação. O investimento é de R$ 273 milhões.

SEGURANÇA

Serão investidos R$ 1 bi em equipamentos e infraestrutura, em parceria com o governo federal. Ao todo, 24.863 agentes vão atuar nos jogos (18.500 policiais militares; 1.822 policiais civis 4.540 bombeiros militares). O Governo do Rio firmou convênios com o Ministério da Justiça, além das embaixadas da Espanha, Estados Unidos, França, Reino Unido, Alemanha, entre outros. Quase oito mil profissionais estão sendo capacitados em cursos antiterrorismo, de análise de risco, controle de massa, segurança turística e idiomas.

AMBIENTE

A Baía de Guanabara avançou de 11% para 51% no índice de tratamento de esgoto.

2007 cobertura: 11%
2013 cobertura: 15%
2014 cobertura: 46%
2015 cobertura: 51%

A qualidade da água nas cinco raias olímpicas da Baía de Guanabara estará de acordo com os padrões internacionais para os Jogos.

O Governo do Rio lançou recentemente o Observatório da Baía de Guanabara, integrado por cientistas de 10 centros de pesquisa. Todo o trabalho será realizado em parceria com técnicos do Governo do Rio. As ações serão planejadas para os próximos 15 anos. Pesquisadores com experiência na recuperação das baías de Chesapeake (EUA), Brest (França), e Sidney (Austrália).

São signatários do acordo:

– Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj);
– Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf);
– Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ);
– Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ);
– Universidade Federal do Rio de Janeiro (Uni-Rio);
– Universidade Federal Fluminense (UFF);
– Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ);
– Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz);
– Fundação Getúlio Vargas (FGV);
– e Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (da Marinha).

Outras ações do ambiente:

*Ecobarcos
*Ecobarreiras
*ETE Alegria
*ETE Pavuna
*ETE Sarapuí
*ETE São Gonçalo
*Dragagem do Canal do Cunha
*Coleta de esgoto nos bairros da Urca e Ilha do Governador
*Lixões irregulares foram fechados em 15 cidades do entorno da Baía de Guanabara, eliminado um “Maracanã” de chorume por semana.

Obras em andamento e a iniciar:

– cinturão Marina da Glória
– UTR Irajá
– ETE Alcântara
– ETE Pavuna
– Ampliação da ETE Alegria
– Obras dos troncos coletores Faria Timbó e de Manguinhos, beneficiando os conjuntos de favelas do Alemão e da Maré, além do Bairro de Del Castilho.
– Tronco coletor Cidade Nova (captará esgoto de seis bairros e comunidades do Centro, Catumbi, Rio Comprido, Cidade Nova, Estácio e Santa Teresa)

Fotos: Carlos Magno