São Sebastião do Alto, é pioneiro na Serra com produção de tomatec

São Sebastião do Alto, é pioneiro na Serra com produção de tomatec

Município tem de 20 mil m² de plantio do tomate livre de agrotóxicos.
Fruto é mais barato que o orgânico e mais saudável do que convencional.

O tomatec é uma nova opção de tomate, mais barato que o produto orgânico e mais saudável do que o convencional. A variedade já está sendo produzida no município de São Sebastião do Alto. O município é o pioneiro na Região Serrana do Rio a cultivar o tomatec, que deve chegar a outros municípios em breve. São 13 mil pés do fruto que ocupam uma área de 20 mil m². A novidade acaba de ser lançada em uma rede de supermercados no Rio de Janeiro, com a promessa de agradar os consumidores mais exigentes.

A tecnologia, de domínio público, desenvolvida pela Embrapa, envolve o trabalho de conservação de solo e água com a introdução do plantio direto do tomate na palhada. Associadas ao plantio direto foram introduzidas técnicas de fertirrigação, manejo integrado de pragas (MIP) e a proteção física do fruto por meio do ensacolamento das pencas de tomate com papel do tipo granapel.
Tecologia envolve conservação de solo e água com a introdução do plantio direto do tomate na palhada (Foto: Divulgação/Embrapa)
Tecologia envolve conservação de solo e água
(Foto: Divulgação/Embrapa)
As ações de MIP e de ensacamento das pencas do tomate produzem um fruto isento de agrotóxico, já que o uso deste produto é reduzido devido ao manejo e à proteção física do saco, que evita o ataque de brocas e o depósito da calda na casca.
Desta forma, a fertirrigação proporciona maior eficiência no uso da água e de adubos mais solúveis, reduzindo, assim, os fortes níveis de adubação registrados nas lavouras de tomate. Já o sistema de plantio, direto na palhada, promove a redução do processo erosivo decorrente do preparo inadequado do solo.

“A idéia do nome surgiu em decorrência de uma demanda dos produtores, que não recebiam nenhum reconhecimento em termos financeiros por produzir um tomate que tem toda uma preocupação com a conservação dos solos e da água e com o uso correto de insumos agrícolas (calcário, adubos químicos e agrotóxicos), que são recomendados com base nas análises de solo e do manejo integrado de pragas (MIP)”, explica o pesquisador da Embrapa Solo, José Ronaldo de Macedo, especialista em física do solo.

O que os produtores relataram, segundo o pesquisador, era de que os compradores falavam que o tomate não era orgânico e, por essa razão, não pagariam um diferencial de preço. Em função dessa afirmativa, em reunião com o Grupo Gestor do Projeto, foi discutido e votado o nome tomatec – tomate ecologicamente cultivado.
Tomate começa a ser vendido em agosto (Foto: Divulgação/Embrapa)
Tomate começa a ser vendido em agosto
(Foto: Divulgação/Embrapa)
“Ecologicamente cultivado pois os dados de pesquisa tinham demonstrado que esse sistema de produção evitava as perdas por erosão do solo e também da água. Além disso, havia economia de custos com as reduções significativas nos gastos com adubos e agrotóxicos. No caso dos agrotóxicos, o sistema já conseguiu reduzir em mais de 60% o uso desses insumos”, contou José Ronaldo.
O pesquisador acredita que, com o aumento da demanda de pessoas buscando pelo tomatec, também haverá outros supermercados interessados em distribuir o produto. Para se ter uma ideia, a intenção da Embrapa é fornecer três toneladas por semana a apenas uma rede. “Em breve cultivaremos o tomatec também em Nova Friburgo, Bom Jardim, Trajano de Moraes e Tanguá”, finalizou o especialista.