Uezo receberá R$ 1,5 milhão da Alerj para não fechar as portas

Atividades da universidade estão paralisadas desde o dia 17 de março. Doação foi aprovada nesta quarta-feira

O DIA
Rio – Em crise, a Universidade Estadual da Zona Oeste (Uezo) receberá R$ 1,5 milhão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A medida pretende evitar que a universidade feche as portas e retorne as atividades que estão paralisadas desde o dia 17 de março. A iniciativa foi aprovada pelo presidente da Casa, deputado Jorge Picciani (PMDB), nesta quarta-feira, a pedido da Comissão de Educação.

De acordo com o reitor da Uezo, Alex da Silva Siqueira, se a faculdade não recebesse um reforço, não iria conseguir reabrir. “Estamos muito felizes e gratos com o apoio do parlamento. A verba vai nos ajudar a cumprir com os contratos vigentes na universidade”, justificou Siqueira.

Outra demanda apresentada pelos professores da Uezo foi em relação à falta de um plano de cargos, carreiras e salários. O presidente da Comissão de Educação, deputado Comte Bittencourt (PPS), se comprometeu a receber na Alerj, em maio, os professores da Uezo para apresentarem o plano, criado por eles, à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

Além disso, o reitor contou que o número de professores da universidade diminuiu nos últimos dois anos. Ele disse que a Uezo perdeu, com o término de contratos e com a migração para outras instituições, cerca de 60% do quadro de professores temporários. “Não conseguimos recompor essa perda e nenhum curso tem o quadro completo de docentes desde 2014”, informou o reitor.

Para resolver esta questão, Comte afirmou que é preciso abrir novos concursos. Atualmente estão matriculados mais de dois mil alunos na universidade, que dependem desses profissionais para dar continuidade aos estudos.

Deixe uma resposta