Alerj doa r$ 4,4 milhões para conclusão das obras do hospital do médio paraíba

 

 

 
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB), esteve nesta segunda-feira (23/05) no Hospital Regional do Médio Paraíba, localizado às margens da Rodovia Presidente Dutra, na cidade de Volta Redonda, para entregar um cheque no valor de R$ 4,4 milhões para a conclusão das obras da unidade, iniciada em 2011.

Aprovada pela Mesa Diretora da Casa na última quinta-feira (19/05), a doação teve o apoio dos deputados da região: Edson Albertassi (PMDB), Nelson Gonçalves (PSD), Ana Paula Rechuan (PMDB), Dr. Julianelli (Rede), Benedito Alves (PRB) e Marcus Vinicius (PTB). Os parlamentares também estiveram presentes na entrega do cheque.

“Dos seis deputados que vieram hoje, três são médicos. Isso mostra a importância da saúde para a população dessa região e do estado como um todo. Sem a ajuda desses parlamentares, nós não teríamos conseguido esse aporte”, afirmou o presidente. Picciani explicou que os recursos são do fundo da Alerj.

Desde o início de 2015, a Casa tem cortado despesas no seu custeio. Só no ano passado, as medidas resultaram numa economia de mais de R$ 169 milhões. “A casa já reduziu 11% do seu custeio e tem conseguido ajudar o estado nesse período de crise. A nossa próxima doação será para segurança pública, no valor de R$ 20 milhões”, adiantou Picciani.

De acordo com o prefeito de Volta Redonda, Antônio Francisco Neto, a partir de agosto o hospital vai começar a funcionar parcialmente, iniciando pelos exames de imagem. Dos 50 leitos destinados à Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), 40 já estão prontos para funcionar. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) doou 150 leitos para o hospital e um equipamento de ressonância.

“Apenas no Rio de Janeiro, cerca de 400 mil pessoas perderam o plano de saúde e passaram a usar o Sistema Único de Saúde (SUS). A abertura de um hospital desse porte é fundamental para um estado com uma crescente demanda no serviço de saúde pública”, alertou o secretário de Saúde, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior.

Governo federal 

Picciani informou que será necessário um aporte do governo federal para custear os gastos fixos do hospital. “Terei uma reunião com o presidente interino, Michel Temer, e vou apresentar essa questão e pedir que ele envie o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para visitar a unidade.”

O Hospital Regional, que está 93% concluído, vai atender a mais de um milhão de pessoas de 12 municípios da região. A unidade terá capacidade para realizar cerca de sete mil consultas por mês. Com 229 leitos, sendo 132 de internação e 97 de UTI e UCI, oferecerá serviços de alta e média complexidades.

A deputada Ana Paula Rechuan, integrante da Comissão de Saúde da Casa, ressaltou que este é o único hospital da região que vai realizar transplantes de rim e córnea e atenderá a pacientes de alta complexidade. “Esse hospital vem pra mudar a historia do atendimento dessa região. O cenário que nós temos são de pacientes que tem que se locomover até o Rio de Janeiro para se tratar.”

“O Parlamento Fluminense ajudou no início da construção e fará o mesmo na conclusão. Não tenho dúvida que esse hospital será de grande valia para todo o estado do Rio”, destaca o líder do governo na Casa, deputado Edson Albertassi.

Obras
O deputado Nelson Gonçalves, também da região, lembrou que, em 2009, a Alerj já havia destinado R$ 20 milhões para o início das obras. “Levei este pleito ao presidente Picciani há sete anos e ele prontamente ajudou. como está fazendo novamente na conclusão da obra. Além de ampliar o atendimento à saúde em Volta Redonda, essa unidade vai desafogar outros hospitais da região.”

De acordo com o presidente da Comissão de Fiscalização das Obras, Sebastião Faria, o atraso foi causado por falta de cálculo dos reajustes anuais no contrato inicial. “Por causa desse incidente, não conseguimos entregar na data prevista, que era dezembro de 2015, mas já nos readequamos e, com esses recursos, a obra poderá ser finalizada em julho.”

Doações
Esta é a segunda vez neste ano que a Mesa Diretora decide doar recursos para órgãos e programas estaduais que passam por dificuldades com a crise econômica que atinge o estado.

No início de maio, a Alerj entregou cheques, num total de R$ 16 milhões, para a secretaria de Estado de Segurança (R$ 3,5 milhões); Universidade Estadual da Zona Oeste (Uezo – R$ 1,5 milhão); Instituto Estadual de Hematologia (Hemorio – R$ 2 milhões); Fundação da Infância e Adolescência (FIA – R$ 2 milhões); Rio Sem Homofobia (R$ 2 milhões); Secretaria de Estado de Esporte (Seelje), para a realização dos Jogos Estudantis Estaduais (R$ 2 milhões); Programa de Prevenção à Dependência Química (R$ 2 milhões) e Conselho Estadual de Direitos da Mulher (Cedim – R$ 1 milhão).

(Texto de Buanna Rosa)

 

Deixe uma resposta