COLUNA: EFEITO BORBOLETA

QUAL O VALOR DO SEU VOTO?

Nas eleições do período oligárquico ( 1894/1930 ), os votos eram, conhecidos como voto de cabresto. Hoje, temos as bocas de urnas e as compras de votos. Estamos presos a propostas pelas quais somos influenciados.
A presidente Dilma Rousseff pode tentar nos manipular dizendo que oferece “bolsas” diversas, levando grande parte da população a votar nela. Fato que lembra-nos o passado.
Essa manipulação de massas, embora “antiga”, continua efetiva atualmente. Precisamos abolir o voto obrigatório, já que com o voto facultativo, o candidato terá que nos convencer a sairmos do conforto de nossas casas, para votarmos nele.
O assistencialismo é evidente, pois há grande ajuda aos pobres, concedida pelo governo. Apesar de tantas décadas, o pensamento sobre o voto, no Brasil, não mudou. O Brasil precisa criar possibilidades para as pessoas ganharem seu sustento através do trabalho e não com bolsas. Manipulações de votos e fraudes são frequentes até hoje.
O voto popular tem sido manipulado ao longo dos anos e isso se tornou vício, ao ponto das pessoas receberem tantos benefícios para votarem, que deixam de trabalhar. Antes os eleitores eram obrigados a votarem em quem os coronéis mandavam. Hoje, evidenciamos o comércio do voto por meio de empregos e bens materiais.
O brasileiro ainda não aprendeu. Continua votando de cabresto, vivendo uma realidade arcaica, com comportamentos e atitudes ultrapassadas de corrupção.
O assistencialismo deve ser superado, para que não haja mais troca de votos por favores. O voto deve ser de acordo com a vontade do eleitor, para que a escolha seja realmente do povo. Esta prática leva o eleitor a uma obrigação de votar em determinados candidatos. Isso faz com que os políticos percam seus princípios, se tornando menos dedicados.
O povo deve lutar contra essa máquina eleitoreira e acabar com o voto de cabresto, camuflado pelo assistencialismo. Atualmente, o assistencialismo tornou-se uma estratégia para os eleitores perpetuarem os mesmos no poder.
A diferença das eleições atuais para o passado é que, antigamente, o voto não era secreto, possibilitando maior controle.
A bolsa família é um exemplo de assistencialismo. Com essa tática de manipulação, um disfarçado voto de cabresto, os políticos conseguem votos. Não devemos votar com a intenção de mudarmos apenas nossa vida, mas sim por um país melhor.

Deixe uma resposta