Em seis meses, Cantagalo sobe nove posições no Ranking da Transparência e figura em segundo na região

Em seis meses, Cantagalo sobe nove posições no Ranking da Transparência e figura em segundo na região

Município, que está na lista dos 20 mais transparentes do estado, saiu da 23ª posição, em dezembro de 2015, para a 14ª colocação este ano
Cantagalo – Em apenas seis meses, a Prefeitura de Cantagalo conseguiu avançar nove posições no Ranking da Transparência, que teve o resultado do novo levantamento divulgado pelo Ministério Público Federal (MPF) na última quarta-feira, 8 de junho. O município saiu da 23ª posição no estado, conforme o levantamento divulgado em 9 de dezembro do ano passado, para a 14ª colocação, saindo de uma nota 6,7 para a atual nota 8,8, uma evolução de 31,3%, ficando à frente até do próprio Governo do Estado, que figura na 15ª posição, com nota 8,7. O resultado também coloca Cantagalo acima dos índices estadual, que é de 5,46, e nacional, de 5,15.
Na Região Centro-Norte Fluminense, Cantagalo está na segunda posição, atrás apenas de Nova Friburgo, que conseguiu nota 10 e figura entre os primeiros colocados no estado (empate com Duque de Caxias, Macaé, Maricá, Niterói, Nova Iguaçu e Resende). A terceira posição em transparência na região aparece 22 posições depois. Trata-se de Bom Jardim, que está na 36ª colocação, com nota 6,5.
A Prefeitura de Cantagalo também foi classificada pelo MPF entre as 20 mais transparentes do estado do Rio de Janeiro. Nessa lista, apenas dois municípios da região figuram: Cantagalo e Nova Friburgo.
No histórico geral, esta é a terceira classificação realizada pelo MPF, que avalia as informações de todos os atos disponibilizados nos sites dos 5.567 municípios, 26 estados e do Distrito Federal. Isso significa avaliar o número de informações das ações das instituições públicas para que o cidadão tenha acesso e possa acompanhar e fiscalizar.
Na primeira avaliação, realizada em maio de 2015, Cantagalo aparecia na 39ª colocação no estado. O prefeito Saulo Gouvêa, através de reuniões com as áreas mais envolvidas no processo, solicitou que a Prefeitura fizesse o seu “dever de casa” e investisse em ferramentas que possibilitassem a disponibilização do máximo de informações possíveis na internet, trabalho que coube ao secretário municipal de Administração, Ângelo Machado, que reuniu uma equipe para a realização da tarefa, sob supervisão da Controladora Geral do Município, Marilda Lima. Assim, o município pulou 16 posições em sete meses e chegou à 23ª colocação em dezembro do mesmo ano. Agora, seis meses depois, a Prefeitura salta mais nove posições, passando para a atual 14ª posição entre os 92 municípios fluminenses mais o Governo do Estado.
– Isso é fruto de um esforço conjunto, de uma equipe que trabalhou para melhorar a pontuação do município nesse período. Mas não paramos, queremos melhorar ainda mais e vamos trabalhar para isso – destaca Ângelo Machado.
Segundo o MPF, após a expedição de mais de três mil recomendações, em dezembro do ano passado, o Índice Nacional de Transparência – média de notas alcançadas por todos os municípios e estados brasileiros – subiu de 3,92, em 2015, para 5,15, em 2016.
O MPF informou que, durante a pesquisa, um grupo de trabalho ficou responsável por avaliar os municípios, tendo como base uma lista de perguntas elaboradas com base na Lei de Transparência e, também, nas boas práticas executadas pelos municípios. Estados e municípios que ainda descumprem a Lei de Transparência serão acionados judicialmente. Ainda esta semana, mais de 1,9 mil ações civis serão propostas pelas unidades do MPF a municípios e estados que descumprem a Lei de Transparência.

Deixe uma resposta