Governo do Estado lança programa para reduzir violência no trânsito

Campanhas educativas e mapeamento da infraestrutura viária ajudarão a reduzir número de vítimas

O governador Luiz Fernando Pezão, o secretário de Transportes, Carlos Roberto Osorio, e o representante da organização não governamental Centro de Liderança Pública (CLP), Leandro Piquet, assinaram, nesta terça-feira (1/9), um acordo para a criação do Programa Rio de Janeiro para a Segurança no Trânsito. O projeto visa aperfeiçoar as políticas públicas para o setor, que ajudem a reduzir o número de acidentes e salvar cerca de 13 mil vidas no estado até 2020. O programa faz parte da meta nacional acordada junto à ONU (Organização das Nações Unidas), que pretende reduzir em 50% o número de óbitos até o fim da década.,

Com investimento de R$ 6 milhões, a ação será integralmente financiada pela iniciativa privada e contará com o apoio das indústrias automobilística, de material de transportes e seguros, além de sindicatos, associações e organizações não governamentais na implementação e divulgação do programa. O comitê gestor contará com a participação de representantes de secretarias estaduais como Transportes, Casa Civil, Educação, Governo, Defesa Civil, Obras, Saúde e Segurança, além de órgãos como Detran, Detro e DER.

– Temos que tirar as ideias do papel e contar com o apoio de entidades, órgãos e empresas. Passamos atualmente por um momento econômico difícil, mas, se nos unirmos, este programa poderá se tornar um grande exemplo, da mesma forma que a Operação Lei Seca – disse o governador.

A violência no trânsito – que, em 2014 registrou 2,7 mil vítimas fatais, gerou custos entre R$ 1,2 bilhão e R$ 3,3 bilhões à administração estadual e aos municípios fluminenses – é a segunda causa de mortes no Rio de Janeiro, sendo a primeira entre os jovens. As cidades fluminenses com os mais altos índices de acidente são Nova Iguaçu, São Gonçalo e Campos dos Goytacazes. No Rio de Janeiro, os bairros da Barra da Tijuca, Bangu, Realengo, Campo Grande e Santa Cruz,lideram o ranking de acidentes

– Os acidentes têm um custo alto para a sociedade. Vamos perseguir a meta estabelecida pela ONU e nosso desafio é trabalhar junto com o nossos parceiros para reduzir os índices de acidentes de trânsito e posicionar o Rio de Janeiro como caso de sucesso mundial – afirmou Osorio.

Plano de ação começa no mês que vem

O plano de ação para a redução do número de acidentes no trânsito deve começar no mês de outubro e inclui coleta de dados, pesquisas, ações educativas, e elaboração de material didático para a disseminação das melhores práticas de conscientização para motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres sobre os riscos do trânsito, convocando as prefeituras dos 92 municípios a participarem do programa.

– Quando visito os hospitais o que mais vejo são pessoas acidentadas, vítimas da violência que o trânsito gera em nosso dia a dia. Reunir todos estes órgãos do governo para atuarem de forma conjunta em parceria com a iniciativa privada e sindicatos fará com que este projeto se consolide, de fato, para podermos oferecer à população campanhas de esclarecimento. Acreditamos também que esta ação contribuirá muito para aumentar a eficiência do sistema de saúde, já que, com menos pessoas hospitalizadas, teremos menos leitos ocupados para que outras pessoas possam ser atendidas em nossos hospitais – afirmou o secretário de Saúde, Felipe Peixoto.

O comitê realizará, ainda, um mapeamento da segurança viária e análise da infraestrutura de trânsito de todo o estado. O objetivo é eliminar pontos onde a ocorrência de acidentes graves é frequente e detectar a necessidade de melhorias, como a construção de passarelas, instalação de sinalizadores ou redutores de velocidade, além de reforço na iluminação de ruas e viadutos. Outra vertente prevista é a criação de um sistema de meritocracia que gere bônus aos municípios que atingirem as metas.

Rio: pioneiro na fiscalização de casos de alcoolemia

O Rio de Janeiro é referência na fiscalização de casos de alcoolemia por meio da Operação Lei Seca (OLS), ação permanente da Secretaria de Governo.

– O Governo mostrou com a OLS que é possível promover a integração com órgãos de secretarias. Acredito, portanto, que esta reunião de hoje mostra que a integração, a união de esforços pode garantir muitas vidas salvas tornando o trânsito no Rio de Janeiro mais humano e seguro – disse o coordenador da OLS, coronel Marco Andrade.

A Operação Lei Seca é uma campanha educativa e de fiscalização, de caráter permanente, lançada em março de 2009, pela Secretaria de Estado de Governo do Rio de Janeiro. Desde então, em todo o estado, até a madrugada de 1/09, 1.999.003 motoristas foram abordados, 389.762 foram multados, 78.848 veículos foram rebocados e 136.738 motoristas tiveram a CNH recolhida. Um total de 145.963 condutores sofreu sanções administrativas, sendo que 5.221 deles também sofreram sanções criminais. Os agentes realizaram 1.751.813 testes com o etilômetro.

Deixe uma resposta