Projeto de prevenção às drogas é levado a escolas fluminenses

Programa vai beneficiar escolas públicas de 21 municípios

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Prevenção à Dependência Química, lançou nesta terça-feira (12/4) um programa de prevenção ao uso de drogas e redução dos índices de bullying e violência nas escolas públicas de 21 municípios fluminenses. Destinado a crianças e adolescentes com idades entre 11 e 14 anos, o projeto Tosco em Ação vai contemplar 150 mil alunos até a sua fase final. A iniciativa foi desenvolvida em parceria com a Editora Alvorada e a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, com recursos do governo Federal.

Os temas abordados serão prevenção à violência; valorização do processo ensino/aprendizagem; preconceito e discriminação; e uso de substâncias psicoativas.

– Os 150 mil estudantes receberão capacitação, orientação e formação, colaborando para que esses jovens repensem a relação que cada um estabelece com o álcool e as drogas, que têm sido consideradas a chaga do século XXI – explicou o secretário de Prevenção à Dependência Química, Felipe Pereira.

O projeto utiliza como fonte de orientação o livro intitulado Tosco, do psicólogo Gilberto Mattje. Tudo na publicação foi pensado para que se tenha resultados positivos e, para isso, foram desenvolvidas ferramentas geradoras de curiosidade, como o nome do projeto. Para explicar a escolha do nome tosco, o coordenador pedagógico da editora Alvorada, Gilnei Maciel, faz uma analogia entre o significado da palavra e um diamante.

– O diamante quando é encontrado na natureza é uma pedra tosca. Agora, ninguém joga um diamante fora. Ele passa por um processo de lapidação, para agregar valor, assim como o processo educacional, que agrega valor ao ser humano – afirmou Maciel.

A próxima etapa do Tosco em Ação é a capacitação dos educadores que irão trabalhar as temáticas do livro com os adolescentes. Posteriormente, será realizada a entrega das publicações para que as escolas comecem a desenvolver um trabalho continuado, envolvendo os jovens, professores e as famílias dos alunos.

– Essa proposta veio para agregar os trabalhos que a gente já desenvolve na rede. É uma situação que entendemos ser urgente e quanto mais propostas chegarem para o nosso município melhor – disse Ariete Loreto, coordenadora de orientação educacional da Secretaria de Educação de Arraial do Cabo.

Ação nacional

O projeto teve resultados positivos comprovados em mais de duas mil escolas de sete estados: Mato Grosso do Sul; Goiás; Santa Catarina; Roraima; Rio Grande do Sul; Piauí; e Paraná. Entre os resultados estão a redução da violência e a diminuição da oferta de drogas no entorno das escolas.

Deixe uma resposta