Transmissão de doenças do Aedes aegypti começa a cair, diz Ministério da Saúde

Transmissão de doenças do Aedes aegypti começa a cair, diz Ministério da Saúde

Taxas de infecção por dengue, zika e chikungunya continuam a aumentar, mas em um ritmo menor que nas últimas semanas

Estadão Conteúdo

Dados preliminares do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira (20) com informações sobre as arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti – dengue, zika vírus e febre chikungunya – mostram que o ritmo de transmissão das doenças começou a apresentar uma leve queda no País.

Leia também
Programas de combate ao Aedes aegypti entraram em colapso, diz OMS
Do repelente a raquete elétrica: veja o que funciona no combate ao Aedes aegypti
“Os indicadores levam a crer que a curva de transmissão começa a baixar”, afirmou o diretor de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch. Isso significa então que as taxas de transmissão das arboviroses continuam a aumentar, mas em um ritmo menor do que nas últimas semanas.

O boletim divulgado pela pasta nesta terça-feira também mostra que o número de nascimento de bebês com microcefalia – malformação associada ao zika vírus – começou a cair. “Se isso de fato se concretizar, podemos ter efeito benéfico a médio prazo. Talvez consigamos evitar a grande epidemia de nascimento de bebês com microcefalia esperada para a região Sudeste”, prevê Maierovitch.

Deixe uma resposta