PF diz que 140 armas foram extraviadas de firmas de segurança da baixada e região serrana

CPI das Armas apurou desvios em empresas de segurança nos últimos quatro anos
Nos últimos quatro anos, pelo menos 140 armas de empresas de segurança que atuam na Baixada Fluminense e na região Serrana foram extraviadas, furtadas ou roubadas. O número foi passado pelo delegado da Polícia Federal responsável pela fiscalização de 50 empresas em 22 municípios das duas regiões, João Paulo Garrido, durante audiência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) que investiga desvios de armas e munições das forças de segurança, realizada nesta quinta-feira (07/04).
“É um número muito expressivo”, destacou o presidente da Comissão, deputado Carlos Minc (sem partido). “Constatamos que o controle da Polícia Federal é muito fraco e não há uma devida comunicação entre os bancos de dados. Solicitamos que o a PF envie um relatório mais preciso para a comissão com atualização dos números, os nomes das empresas envolvidas e outros elementos relevantes”, disse Minc.
Dificuldades
Delegado federal da Regional de Nova Iguaçu, João Paulo Garrido admitiu que há dificuldades na alimentação do sistemas de dados do setor. “Estamos subordinados às diretrizes de Brasília, e este é único dado disponibilizado pela Comissão de Vistoria, responsável pelo controle de armas”, afirmou.
Para o deputado Luiz Martins (PDT) é primordial saber com precisão o número de armas roubadas e que providência foram tomadas pelo órgão. “Passaram a atribuição do controle, do porte e da fiscalização de armas para a Polícia Federal em 2005, mas não ofereceram a estrutura para exercerem a função”, destacou. “O grande inimigo da segurança pública é a arma. O desvio é grande, e a população está morrendo com estas armas”, destacou a deputada Martha Rocha (PDT).
Capital
Esta é a segunda reunião em que a CPI apura desvio de armas nas empresas de segurança privada. Em novembro de 2015 o grupo constatou que 830 armas haviam sumido dos arsenais das empresas que atuam na capital do estado em quatro anos. O número é superior ao total de armamentos extraviados da Polícia Militar – 679 armas – em todo o estado, em dez anos, de 2005 a 2015.
Também estiveram na reunião os deputados Zaqueu Teixeira (PDT) e Paulo Ramos (PSol), além do delegado Adriano Gasser, titular da Delegacia de Polícia Federal de Petrópolis.
(Texto de Symone Munay)

Deixe uma resposta